O original e o cover #5

Adele é considerada artista revelação desde 2008, mas foi em 2011 que o álbum “21” e o seu mega hit “Rolling in the deep” bombou nas paradas. A original é uma versão meio dance hall já o Linkin Park transformou em balada. Tocada à exaustão este ano, a dor de cotovelo com estilo é o tema da “O original e o cover” de hoje.

 

O ORIGINAL
A gorditcha britânica Adele canta desde os 4 anos de idade, mas foi já adulta que chamou a atenção das gravadoras, especialmente da XL Recordings, que resolveu apostar no seu talento. Gravou o primeiro álbum “19” em 2008 e conquistou fãs nos EUA, apareceu no Saturday Night Live e fez uma extensa tour de divulgação. Um ano depois já estava com algumas canções novas prontas e vivia o fim de um relacionamento turbulento. Esse fato contribuiu para as dores de amor relatadas na maioria das faixas de “21”, seu segundo álbum lançado no início deste ano. Enquanto o mundo chorava a perda do talento de Amy Winehouse, críticos voltavam seus olhos para aquela outra britânica de voz rouca, rasgada e de visual retrô. A superprodução do aparentemente simplista videoclipe estourado nas MTVs do mundo ajudou a propagar o hit “Rolling in the deep”. Adele, a despeito da sua ainda latente deprê e sem esboçar muitos sorrisos, é uma das mais premiadas cantoras deste ano.

O COVER
O Linkin Park é acusado de ser banda pré-fabricada. Fato é que desde de sua formação seus quatro álbuns de estúdio são fenômenos de vendas e colecionam inúmeros hits.
Em 2010, as acusações ganharam corpo. Com o lançamento “A thousand suns” foram recordistas de indicações de prêmios de melhor muita coisa. Não levaram nenhum e continuam enrolados com a produção do próximo disco que já dura pelo menos oito meses. Enquanto isso, críticos criticam e a banda segue engordando a conta bancária fazendo shows, muitos shows.
Driblando especulações muito do sucesso da banda se deve a dois talentos individuais: Mike Shinoda e Chester Bennington. Depois de duetos com JayZ, o vocal com nome de peru já mostrou ao vivo que é tão bom quanto nos discos. Apesar de o hit de Adele já ter sido coverizado por Panic at the disco, ser trilha do Glee e da novela Morde e Assopra, foi na voz de Chester que ganhou ainda mais força. A linda versão balada foi feita este ano, ao vivo, com voz e piano, durante a apresentação do Linkin no 2011 iTunes Festival.

Ponto pras duas. Ambas, lindas versões.

E aí, discorda? Tem alguma sugestão? Aguardo comentários! Até quinta!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s