Playlist da semana #27 – Brrrr

Inverno chegou no Brasil e além de temperatura baixa, gripe e chuva, muita preguiça. Tudo bem, aqui é bem menos rigoroso. Já lá fora, neve, frio e vento na cara inspiram o mundo pop rock na hora de fazer vídeos. Por isso, na playlist da semana, incentivando nossa vontade de ficar debaixo das cobertas, videoclipes congelantes. Tremei!

>>NIGHTWISH
Ok, concordo, apesar de linda e muito talentosa, Tarja não é das figuras mais simpáticas. Mas, apesar de hoje ela estar em carreira solo e a banda seguir com outra vocalista, “Nemo” é um dos pontos altos dessa antiga parceria.  O som que abre essa playlist é o primeiro single do álbum Once, lançado em 2004. O último com Tarja no vocal.

>>ALANIS MORISSETTE
Apesar de ainda atuar e bem como cantora, Alanis preferiu levar a vida de atriz mais a sério e dedica-se a séries de TV e teatro. Mesmo sem o mesmo barulho e madeixas de antes, no mês passado ela anunciou o disco previsto para ser lançado em agosto e com o single, “Guardian”,  já disponível no Itunes. “Ironic” é um dos master hits do badalado “Jagged little pill” lançado em 95. É aí que Alanis começa a mostrar seus dotes para atuar, interpretando várias versões de si mesma. Complexo… certo é que foi um sucesso estrondoso, mundial e ganhou uma versão fofinha de uma baixinha que fez uma versão mini do videoclipe. Lembra dessa?

>>COLDPLAY
Alguns chamam de rock alternativo, outros de a salvação do pop, sucessores do U2 e coisas do tipo. Não concordo com nenhuma apesar de reconhecer que tem lá sua importância. A notoriedade que a banda tem hoje e seu mérito principalmente em shows e videoclipes começou com “Yellow”, o primeiro hit de “Parachutes”, álbum de estreia lançado em 2000. Nada mais triste do que cantar a dor de cotovelo, andando contra o vento, num dia frio e estratégico para transformar Chris Martin no mais “ah vem aqui me dar um abraço” do mundo não é?

>>EVANESCENCE
Antes até dessa febre “Crepúsculo” surgir, essa melancolia neogótica começou com o Evanescence, que ainda segue com letras tristes, muito preto e branco e dramaticidade nos videoclipes. “Lithium” é mais um dos tantos nessa pegada. Acho que a banda é melhor com hits mais agitados como “Going under”, mas “Lithium”, segundo single do segundo disco “The open door” de 2007, entra aqui pela trilogia piano, belo vocal e clima total sorrow and sadness de inverno.

>>MARILYN MANSON
As excentricidades do vocal que dá nome a banda foram tão longe que aquela possibilidade de se transformar num mega astro do rock desceu pelo cano. Pelo menos por aqui MM não é tão mais badalado. A relevância mudou, mas os elementos continuam os mesmos: a pegada industrial, as letras e imagem forte. A tendência de fazer videoclipes artistícos e plásticos continuou em “The Nobodies”, faixa título do quarto disco lançado em 2001. Apesar de até bom, soa estranho e dá saudade dos tempos do cabelão e “Sweet dreams”…

>>RAMMSTEIN
Acho sensacional bandas que cantam em seu próprio idioma sem universalizar pro inglês. E o Rammestein é uma dessas que faz um som responsa cantado no bom e velho alemão rasgado na voz performática de Till Lindemann. A premiada e pirotécnica banda lançou uma quase baladinha com “Ohne Dich” ou “Without you” em inglês. Esse foi o terceiro single do álbum “Reise” lançado em 2004.

>>QUEEN
Uow! Um clássico na neve! O hino do rock “We will rock you” foi gravado assim com cabelos esvoaçantes, casacos, cachecol, luva, galochas e um óculos com lente estrela. Bem simplizão para aquele final dos 70, começo dos 80 e  para a importância que a música ganhou sendo um dos hits mais famosos da banda e da Inglaterra – terra natal do Queen. A música foi escrita pelo guitarrista Brian May e faz  parte do  álbum de 1977 intitulado “News of the World”. Um som com a minha idade, veja só!

>>MY CHEMICAL ROMANCE
Esse começo de anos 2000 foi engraçado para o rock. Orfãos de revolução e do hiato de Nirvana e o fim do grunge criaram essa onda de bandas misturando visual dark punk com letras melancólicas. Apesar das guitarras e de algumas viradas mais pesadas dentro do mesmo som, aquele desespero de “ó minha vida, ó quanta dor” era também conhecida como emo. Todas rejeitam, mas o estilo foi consagrado por grupos como Panic at the disco, o já citado Evanescence e o My chemical romance. O sucesso deste último com os discos anteriores, consagrou-se em “The black parade” de 2006. A participação em trilha de filmes e o shows lotados fez com que fossem eleitos como uma das cinco mais influentes dos últimos 30 anos pela Kerrang! É… essa revista já foi mais criteriosa e seletiva.

>>BON JOVI
Uma das tantas baladas feitas pelo Bon Jovi para embalar casais apaixonados. Num climinha frio em Hollywood, o videoclipe de “All about lovin´you” dá o desfecho para a história do casal Jack and Jill iniciada em “Misunderstood“. Muita fofice e muito amor. Lançada como single em 2003, a música originalmente faz parte do disco “Bounce” de 2002.

>>OZZY OSBOURNE
“Dreamer” marca um raro momento de melancolia e sentimento fraterno do cara conhecido como louco comedor de morcegos. A faixa inspirada na música e na vida dos Beatles faz parte do estranho disco Down to Earth de 2001. O video em clima de inverno, alternando neve e uma session quase acústica com muitas velas foi dirigido por Rob Zombie. Apesar de calminha e quase triste, a playlist termina com uma letra positiva torcendo para que Ozzy e sua capacidade de dar a volta por cima consiga superar mais esse drama familiar revelado esta semana.

Congelou? Bota uma roupa, aquece o sangue e encara a vida! Boa semana e até a próxima!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s