“On the road” nos cinemas brasileiros

Botar a mão num clássico, é mexer num vespeiro. Por isso, mais que peito, tem que ter culhão para encarar a ferroada. Coube ao cineasta brasileiro Walter Salles, com toda sua calma e sagacidade, trazer às telas a adaptação para o cinema de “On the road”, escrito por Jack Kerouac. Exibido no circuito dos festivais, o filme estreia nesta sexta, 13, nos cinemas brasileiros.

PRIMEIRO, O LIVRO

“On the road”, traduzido no Brasil como “Pé na estrada”, trazia o ideal de liberdade da juventude nas páginas do livro escrito por Jack Kerouac.  O autor é um dos principais nomes da dita Geração Beat – um movimento de contracultura estabelecido pré-geração hippie que no fim da década de 50, começo dos anos 60, que prepagava a liberdade sexual, de expressão, a vida sem compromissos, uma mochila nas costas e o pé na estrada.

Os autores eram nômades, formavam comunidades e estavam, parafraseando Marcelo D2, embalados por drogas como benzedrina e cafeína, em busca da batida perfeita do jazz. Daí também, por causa da música, o termo beat. Ao contar a história de como os dois amigos atravessaram os Estados Unidos, Kerouac inaugurou um novo tipo de prosa, que funciona como uma trilha sonora interna ao livro, que vai se desprendendo das palavras, das frases, dos blocos de texto. Essa escrita que tem o ritmo das ruas une a realidade ao sonho, transformando o que era uma viagem em uma busca espiritual.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O CINEASTA

Walter Salles é um cineasta brasileiro muito conhecido pelo sucesso de “Central do Brasil”.
Apesar de ter uma filmografia antes deste boom de 1998, os filmes seguintes como “Abril despedaçado” (2001) e “Diário de Motocicleta” (2004) também trouxeram essa característica de road movie.  Estar literalmente na estrada, então, na era exatamente uma novidade.

ON THE ROAD

Apesar de Francis Ford Copolla ter os direitos de filmagem do livro, coube a um brasileiro com enorme respeito no circuito underground e mainstream americano, fazer a versão cine do clássico da literatura. A produtora de Coppola é parceira na co-produção.
Grande parte do destaque do filme é o elenco estelar reunido: a crepúscula Kirsten Dunst, Steve Buscemi, Amy Adams, Viggo Mortensen, Alice Braga e Tom Sturridge  dão vida a alguns dos principais personagens da história real. O roteiro é de Jose Rivera, o mesmo que adaptou o texto de “Diários de motocicleta”. Com filmagens em estradas dos Estados Unidos, Canadá e México, o filme que já teve estreia no festival de Cannes e inaugurou o fest Brasília deste ano, entra finalmente em circuito nacional.

Não pré-julgue, assista! Para quem está em São Paulo, a Folha promove pré-estreia no filme no Conjunto Nacional nesta quinta, 12, às 19h com ingressos gratuitos distribuídos uma hora antes da sessão. Seja como for, confira o trailer e programe-se pra ver!

Com informações da Wikipedia e UOL Cinema

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s