Playlist da semana #30 – Duetos

O rock é feito de parcerias, sejam elas inusitadas, curiosas ou até desastrosas. Na playlist de hoje alguns bons exemplos de duetos feitos na história do rock em discos, projetos paralelos, alguma apresentação, jam ou num “vamo ali tocar uma musiquinha?”.

>>BOWIE E FREDDIE MERCURY
Começando com um clássico dos duetos. A versão original de “Under Pressure” é velhinha. Foi gravada no álbum “Hot Space” , décimo álbum do Queen gravado em 81 e lançado em 82. Além dos vocais, Bowie ainda tocou teclados e tem co-autoria na letra. A performance de Bowie com Annie Lennox no Freddie Mercury Tribute em 92 reativou a importância histórica da música que depois reapareceu em coletâneas da banda e ganhou, em 2005, o título de “linha de baixo mais popular da história”, segundo a revista Stylus.

>> COVERDALE E PAGE
A rivalidade, principalmente vocal, dos frontmen do Whitesnake/Deep Purple e Led Zeppelin não parecia fazer um dia ser possível alguma união das bandas para qualquer projeto que fosse. O guitarrista Jimi Page dando um belo dane-se pra isso juntou-se a David Coverdale para uma parceria de três anos que rendeu um disco clássico intitulado apenas “Coverdale. Page”. Por sugestão dos produtores da Geffen Records, gravadora de ambos na época, como a carreira também de ambos estava estagnada, resolveram topar encarar o projeto. Lançado em março de 93, de cara, o álbum entrou nas paradas britânicas, japonesas e americanas e ficou conhecido por cinco grandes hits inesquecíveis: “Pride and Joy”, “Take Me for a Little While”, “Take a Look at Yourself” e “Over Now”. A gente ouve aqui um dos melhores, “Shake My Tree”.

>>IGGY POP E KATE PIERSON
Apesar de ter muitos sucessos e uma histórica bagagem a frente do Stooges, o grande marco na carreira do cantor Iggy Pop é o lançamento de “Candy”, uma das  músicas mais queridas por fãs, produtores de rádio e cantores de karaokê. O grande hit foi lançado em setembro de 1990 no nono álbum solo de Iggy, “Brick by brick”. A música foi o segundo single deste álbum e foi a primeira e única vez que deixou Iggy no Top 40 das paradas. Há outras especulações, mas o vocal afirma que a letra é sobre uma antiga namorada. Como foi um momento especial, Iggy achou que não soaria tão emocionado se o trecho e o  refrão fosse feito só por uma voz masculina. Pensou em Kate, uma das vozes femininas do B52´s, por ser forte e doce ao mesmo tempo. Acertou em cheio!

>>JAY-Z E LINKIN PARK
A ligação do Linkin Park com as batidas eletrônicas e o mix com o rap e hip hop nos vocais de Mike Shinoda só ficaram ainda mais evidentes com o lançamento do álbum “Collision Course” lançado em 2004 em parceria com o rapper Jay-Z. A combinação deu muito certo e se transformou num EP e DVD com seis faixas misturando músicas de ambos. Rendeu muitos shows, vendeu 5 milhões de cópias e rendeu um Grammy para Shinoda que produziu e idealizou o projeto.

>>ANTHRAX E PUBLIC ENEMY
Continuando essa mistura entre rock e rap, não poderia faltar Run DMC e Public Enemy. Poderia falar aqui da parceria mais famosa com “Walk this way” do Aerosmith ou ainda do Body Count, Beastie Boys, Faith no More ou ainda o dueto do Rage Against the machine e o Cypress Hill e não faltariam bons exemplos. Mas uma parceria inusitada foi a dos mestres do hip hop com o heavy metal do Anthrax. A música “Bring the noise” do Public Enemy já existia desde 87, foi trilha de filme e trazia vários samples: desde trechos de Funkadelic até um  discurso do Malcolm X. Foi também sampleada em várias outras faixas de artistas como De la Soul e Kanie West. A versão com o Anthrax foi feita em 1991. O convite partiu do vocalista Chuck D que achou que os caras do metal não o levaram a sério. Essa parceria, para ele, ainda é considerado um dos pontos altos da carreira do PE. A faixa entrou no álbum “Attack of the Killer B’s” do Anthrax e no “Apocalypse 91…The Enemy Strikes Black” do Public.

>>MEGADETH E CRISTINA SCABBIA
Um dos vídeos no Youtube com essa parceria pergunta se uma música boa do Megadeth pode ficar ainda melhor, bem…O Lacuna Coil, banda italiana de metal que tem Cristina Scabbia no vocal, tem feito boas covers ao longo da carreira além de ótimos sons próprios. Não se pode negar que a escolha de “A tout le monde” foi feliz mas eu ainda prefiro a original gravada no “Youthnasia” de 94. A versão com a participação de Cristina é o primeiro single do “United Abominations”, décimo primeiro álbum de estúdio do Megadeth, lançado em 2007.

>>JOSH HOMME E FLORENCE
Há uma versão linda de “Freak on a leash” gravada no Acústico do Korn com a participação de Amy Lee do Evanescence, mas tem um dueto mais curioso a comentar. Florence Welch é a vocalista da indie rock band britânica Florence and The Machine. Recentemente ela lançou um acústico e esse dueto com Josh Homme do Queens of the stone age foi o primeiro single a vazar na rede. Relembrando a parceria de Johnny Cash e June Carter, Josh e Florence deram uma nova versão para “Jackson”, composição de Jerry Leiber e Billy Edd Wheeler. Menos folk, mas tão boa quanto a original.

>> BONO E PAVAROTTI
Bill Carter é um jornalista americano bastante influente na indústria cultural.  Ele sugeriu ao vocalista do U2, já tão conhecido na década de 90 por seus projetos e participações em ações humanitárias e causas sociais,  que ele ajudasse num filme sobre a resistência política em Sarajevo, local que ardia em guerra na Bósnia mais especialmente naquele período. Bono não só deu suporte financeiro ao documentário como fez a trilha sonora. O filme “Miss Sarajevo” de Carter é sobre o ativismo de uma jovem local chamada Inela Nogić, então com 17 anos. Ele viveu em Sarajevo por seis meses e registrou tudo, acompanhando os passos dos jovens resistentes e idealistas em meio a guerra civil. O filme ganhou enorme repercussão e incentivou algumas mudanças locais além de focar os olhos do mundo no conflito. Pavarotti já queria ter feito a parceria muito antes com o U2  e especialmente com Bono Vox. Além de clipe e disco, a primeira performance conjunta foi em setembro de 1995 na Itália durante o ‘Pavarotti and Friends”, show que era realizado anualmente pelo finado tenor. A música ganhou participação em vários outros momentos na carreira do U2, mas foi registrada primeiramente no álbum “Original Soundtracks 1” também lançado em 95.

>> TEMPLE OF THE DOG
Temple of the dog foi uma banda que existiu de 1990 a 1992, idealizada por Chris Cornell como tributo ao falecido vocalista do Mother love bone, Andrew Wood. Juntando membros do Soundgarden e Pearl Jam, alguns que inclusive fizeram parte do MLB, o único álbum homônimo foi lançado em 1991 ainda nas versões, CD, LP e cassete. Haha, que velho! “Hunger strike” não é o único, mas é o mais conhecido single deste álbum. A letra é de Cornell, mas a faixa foi construída com ensaios vocais e sugestões de riffs e linhas de guitarra, baixo e bateria numa colaboração conjunta e emocionada da banda que se reunia não só para fazer um som, mas homenagear um amigo em comum.

Como tinha boas histórias para contar, fico devendo a playlist de duetos nacionais. Até a próxima semana, na contagem regressiva para Londres 2012!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s