Playlist da semana #31 – Londres 2012

Nem Liam Gallagher, Coldplay, Adele, Stereophonics ou Paul McCartney. Se eu pudesse escolher uma lista digna do melhor do rock e punk britânico, ela certamente não seria piegas e nem teria um desses citados inclusos. Inspirada na playlist oficial da cerimônia de abertura, foi difícil, mas fiz aqui uma modesta eleição das minhas dez mais com a cara da Inglaterra e boa pra agitar qualquer espírito olímpico. Aperte o play na contagem regressiva para os Jogos de Londres 2012!

>>SMITHS
Um dos ícones do rock dos anos 80 surgiu em 82 em Manchester, fez várias letras inspiradas nos acontecimentos locais e videoclipes gravados nas ruas de algum lugar da Inglaterra. “Panic” é uma delas. A música faz parte do clássico disco de 86, “The Queen is dead”, terceiro da curta carreira produtiva da banda. Nele também estão os hits “Bigmouth strikes again” e “The boy with thorn is his side”. Quando começar a tocar Oasis ou Coldplay caberia bem os versos “Burn down the disco | Hang the blessed d.j”, concorda?

>>IRON MAIDEN
O Iron é fruto nativo de Londres. Tudo começou em 1975 e, desde então, é uma das mais importantes do movimento que foi conhecido como NWOBHM. É uma carreira de muitos discos, muitos sucessos e uma trajetória recheada de prêmios, shows, tours e fãs insandecidos. Já que a playlist é minha escolho a que eu mais gosto. “The Trooper”, faixa do clássico “Piece of mind” 83. O quarto disco da carreira, o segundo com Bruce no vocal e o primeiro com Nicko McBrain na bateria.

>>THE WHO
Um dos episódios mais engraçados até então nessa edição dos jogos foi a trapalhada do comitê organizador que convocou o falecido e genial baterista Keith Moon para tocar na cerimônia da abertura. Só faz 34 anos que ele jaz em paz, mas erros à parte, o The Who é uma instituição do rock britânico dos anos 60. Ainda segue em atividade graças a inesgotável energia do guitarrista Pete Townshend e não pode faltar em nenhuma lista dos melhores da música britânica. É muita história pra contar sobre eles, então, melhor vê-los em ação e nesse caso, com Moon vivindo da silva. Vamos de “Who are you?”, um clássico da banda, faixa hoje também conhecida por causa da abertura do CSI.

>>DAVID BOWIE
Bowie seja como cantor, ator, como produtor ou personificado de Ziggy Stardust, é um dos artistas britânicos mais importantes da história do rock. Tanto em carreira solo como em parcerias inesquecíveis, ele é o cara. Começou em 62, mas foi só em 69 que ficou conhecido com o disco “Space odity”. O grande estrelato veio só nos fim dos anos 70, início dos 80, com clássicos como “China girl”, “Let´s dance”, “Heroes” e “Rebel rebel”. Esse último gravado no álbum “Diamond dogs” de 1974.

>>ROLLING STONES
Essa é óbvia nos best of the best, e, para mim, sempre será melhor do que os Beatles. Comemorando 50 anos de estrada e em atividade, falar de qualquer assunto relativo à banda formada em 62 e dizer porque é bom, é chover no molhado. E para não ficar no óbvio ululante, vamos de um clássico lançado como single em 1968, “Jump Jack Flash”. It´s a gas gas gas!

>>TOY DOLLS
Se o assunto é punk britânico é difícil dizer uma só e o Toy Dolls abre essa sublista dentro da minha playlist especial Londres. A banda é um dos power trios da história do (punk) rock, formada em 1979 em Sunderland, norte da Inglaterra. Segue em atividade, tem disco recente lançado no início deste ano, e é liderado pelo magrelo e engraçado vocalista Michael “Olga” Algar. Existem muitos hits, mas “Nellie the elephant” é o mais conhecido. Saiu em versão single em 82 e depois no primeiro disco da banda, “Dig That Groove Baby”, de 1983.

>>THE JAM
“In the city” é o nome do primeiro disco da banda britânica The Jam, lançado em 1977. Junto com o The Who, Kinks e Beatles, foram responsáveis pelo revival de bandas mod, ou o chamado rock de terno. A carreira meteórica  durou pouco. Da formação em 72, de estrela máxima do Reading Festival em 78, ao fim da banda foram apenas dez anos. O vocal Paul Weller decidiu acabar com a banda no final de 1982, enquanto ainda estavam no auge da popularidade.

>>THE CLASH
Sou suspeita para falar de The Clash, a minha preferida entre as bandas punk britânicas. O quarteto surgiu em 1976 e além de marcar para sempre seu nome na história do punk, letras politizadas e total espírito ativista e DIY, foram responsáveis por fundir o estilo com o reggae e ska criando um legado musical inestímavel para artistas contemporâneos a eles e outros que ainda usam o Clash como influência. Se Londres é o centro do mundo por um mês, não poderia ser outra música que a faixa título do terceiro (e melhor) disco lançado em 1979. Joe Strummer is God!

>>SEX PISTOLS
Já disse isso em outra ocasião aqui mesmo no blog. É praticamente impossível que uma banda no futuro venha repetir o que os Sex Pistols fizeram na carreira com apenas um disco de estúdio. “Never Mind the Bollocks, Here’s the Sex Pistols” foi lançado em 1977 e é um marco no estilo, tornou a capital inglesa como principal local das bandas e da moda punk a partir de então. Acusados de tudo o que for possível, inclusive de vendidos mercenários, o que não se pode dizer é que não são relevantes e que seguem sendo referência e influência para muita gente. É engraçado imaginar que Sid Vicious hoje seria um senhor pançudo e cansado, mas ainda capaz de ruborizar a toda poderosa rainha. Por isso, a música não poderia ser outra.

>>COCK SPARRER
Fechando a playlist uma típica banda londrina e uma declaração de amor à Inglaterra. O Cock Sparrer surgiu em 72 e é considerado um dos mais importantes grupos do movimento Oi!. Apesar de não adotarem o título, preferem o rótulo de street punk, o que causa bem menos problemas. A discografia é até curta para uma banda que tem tanto tempo de estrada e ainda segue fazendo shows ao redor do mundo. “England belongs to me” faz parte do disco “Shock troops” lançado em 82. A faixa não fazia parte da versão original do disco e foi adicionada na reprensagem. Lógico que para evitar ser polêmicos, a direção da cerimônia dos Jogos não vão colocar artistas como eles e Amy Winehouse, por exemplo, mas que seria bem legal ver o estádio inteiro no refrão como algumas torcidas de futebol de lá já fazem, isso seria.

É isso! Na torcida para o Time Brasil e que, para o bem do esporte, da superação, seja mais uma edição inesquecível das Olimpíadas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s