Free Pussy Riot!

Entre julgamento de mensalão, greves e Olimpíadas, certamente você ouviu falar do caso Pussy Riot em algum momento. Enquanto você lê esse texto aqui no Brasil, as três integrantes da banda punk, condenadas  por improvisar uma atuação na catedral principal de Moscou para protestar contra o governo de Vladimir Putin, estão em julgamento e podem pegar até sete anos de prisão. Veja quais artistas deram apoio à causa e porque se tornou um símbolo de resistência.

A BANDA
Musicalmente, a banda não é tão barulhenta quanto ativista. Formada em 2011, ganharam notoriedade pelos protestos e pela marca registrada: as máscaras coloridas que cobrem a cabeça das integrantes e foi usado durante os protestos do movimento de libertação do trio.

O CASO
Nas vésperas das eleições de março, as três integrantes do grupo Pussy Riot, entraram na Catedral do Cristo Salvador com os seus rostos cobertos, guitarras e equipamentos de som e protestaram contra Putin, que aspirava a um terceiro mandato. Agora que elas já cumpriram cinco meses sob custódia policial,  a promotoria solicitou mais três anos de sentença para ser decidida no julgamento de 17 de agosto. Nadejda Tolokonikova, de 22 anos; Yekaterina Samutsevich, de 29, e Maria Alejina, de 24,  acusadas de “vandalismo” e de “incitação ao ódio religioso” pelo fiscal Alexandre Nikiforov, que considera “o delito é grave e a sua correção só é possível em condições de isolamento da sociedade e o castigo necessário é privar de sua liberdade”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

APOIO
Além de destaque na mídia e protestos anônimos pelo mundo criando um movimento Free Pussy Riot, ganhou adeptos famosos. A cantora Bjork escreveu no dia 10 de agosto, na sua página no Facebook: “Como uma artista e uma mãe, gostaria de expressar que eu realmente não concordo com o fato de elas terem sido presas por terem feito uma performance pacífica de protesto. Na minha opinião, as autoridades russas deviam deixá-las ir para casa para suas famílias e crianças.”
Madonna fez um apelo em defesa das integrantes da banda durante um show em Moscou na noite no dia 7 de agosto. Ela apareceu diante de milhares de fãs e foi fotografada com o nome do grupo pintado em suas costas, e disse que está rezando pela liberdade das garotas.

A Anistia Internacional entregou nesta quinta-feira à embaixada russa em Londres uma petição a favor das integrantes. Além disso, o ex-Beatle Paul McCartney escreveu a elas uma carta de apoio. Disse que ele “e muitos outros que acreditam na liberdade de expressão farão tudo o que estiver ao seu alcance para apoiá-las e a ideia da liberdade artística”.  O músico declarou que espera “que as autoridades russas apoiem o princípio da liberdade de expressão para todos os seus cidadãos”.

PEACHES
Polêmica, pra variar, a cantora canadense Peaches pediu que o presidente russo, Vladimir Putin, seja linchado, em um vídeo de apoio ao grupo punk russo Pussy Riot publicado nas redes sociais. “Isto é o que proponho, vejam como mudar as coisas, colocar Putin em uma estaca e queimar o bruxo”, afirma a música, enquanto desfilam cerca de 400 pessoas, encapuzadas, reunidas pela cantora e música Simonne Jones em um parque de Berlim.

ANTI-FLAG
Outra conhecida pelo ativismo e polêmica é a banda Anti-Flag. No dia 31 de julho um show em benefício à causa foi feito em Berlim. Dias antes, os punkers da Pensilvânia fizeram um show na Alemanha e doou dois dólares de cada ingresso para o movimento de libertação do trio russo. Antes de tudo isso, uma música foi gravada em homenagem a elas. “Punk Prayer”, uma cover de ‘Virgin Mary, redeem us of Putin’ das Pussy Riot, foi gravada pelo Anti-flag e está em vídeo e disponível no Soundcloud.

Kate Nash, Red Hot Chili Peppers, Sting, Peter Gabriel, Cornershop, Faith No More, Alex Kapranos do Franz Ferdinand, Neil Tennant do Pet Shop Boys, Patti Smith, The Beastie Boys, Refused,  Pete Townshend, Genesis, Johnny Marr, Courtney Love, Propagandhi, Rise Against, Yoko Ono e o comediane Stephen Fry foram alguns dos artistas que também aderiram à causa. Se você quiser saber mais sobre o movimento, acesse o site do Free Pussy Riot. Se liga, esse vai ser um dos assuntos desta sexta!

Com informações da Psicodelia Ramonica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s