Kelly vence o Pro Gold Coast

Começou bem! Na primeira etapa de 2013 Kelly Slater encontrou as melhores ondas e é o campeão  – a 53ª da carreira -, após bater Joel Parkinson na decisão. Mick Fanning e Michel Bourez ficaram em terceiro. Confira os detalhes da disputa.

kelly-win

A grande final começou agitada. Em 3 minutos, três tubos. O primeiro foi de Joel, que deslizou pelo tubo de Kirra Deep e agachado e tirou 8.67 . Slater pegou as seguintes, ambas com duas seções tubulares, que valeram 6.83 e 8.73. O atual campeão mundial assumiu a liderança 5 minutos depois, quando correu bastante na parede cilíndrica e emendou dois floaters, combinação que rendeu 7.83.
Parko se manteve mais à direita da praia e Slater, mais ao centro. O australiano estava bastante ativo, surfando muitas ondas – foram 11 nos 40 minutos de decisão. Kelly fez diferente. Esperou até a metade da bateria para pegar a terceira onda, escolhida com precisão e que sacramentou a vitória. Ele correu muito no tubo e mandou uma pancada na junção. Os juízes deram 9.83, o que fez Kelly somar 18.56 pontos e deixar Parko precisando de 9.89 para virar. O aussie ainda pegou um bom barrel, mas tirou apenas 8.80 pontos e larga atrás do vice-campeão mundial de 2012 na briga pelo título desta temporada.

Esta foi a 12ª vez que Slater e Joel se enfrentaram em baterias homem a homem. Agora, o 11 vezes campeão do mundo levou a melhor pela sétima vez, ante cinco vitórias do aussie.

parko

Duelos épicos

Às 11 horas da manhã em Gold Coast, Joel Parkinson e Michel Bourez entravam no mar para abrir a semifinal. A temperatura esquentou logo na primeira onda. Parko dropou e correu a direita de Kirra até encontrar o tubo, de onde saiu em pé após percorrer deep por muito tempo. Ele agachou logo em seguida e tirou mais uma seção cilíndrica. Resultado: nota 10, a segunda de Parko, a segunda do Quik Pro. Não demorou muito para o aussie cravar 18.17, somatória que o colocaria na grande final. Joel espancou a onda com batidas verticais de frontside e finalizou com muita pressão na rasgada.

A 20 minutos do final, Bourez voltou para a briga, depois de ficar deep em um tubão, do qual saiu na cortina, e executar uma batida. Cinco minutos depois, com nota 8.87, ele saiu seco de um barrel na segunda e última onda que pegou, que lhe rendeu apenas 6.93 pontos. Na sequência, Kelly Slater começou na liderança da bateria contra Mick Fanning, ao sair de uma grande parede cilíndrica e conectar batida vertical e rasgada. A nota 7.67 de Slater foi esquecida daí para frente. Os 14 minutos seguintes tiveram domínio do australiano. A primeira onda dele foi parecida com a de Kelly: tubão deep ligado a duas manobras, que valeram 8.67. Mick, na sequência, atrasou o máximo no barrel e tirou 8.03. Mas foi a terceira onda boa que o isolou na liderança – por pouco tempo. Depois de um air drop, o bicampeão mundial botou no trilho e ficou agachado e muito deep enquanto a parede tubular rodava sobre ele, que saiu na cortina e emendou um cutback.

No entanto, Slater pegou a onda de trás. O barrel foi menor,  mas ele atrasou bastante e ficou muito tempo. O americano tirou 9.37. O australiano, 9.93. A bateria chegava a 5 minutos do término e o unodecacampeão mundial precisava de 9.45. A direita cilíndrica apareceu, Kelly passeou no salão, saiu em pé e seco, e ainda encontrou espaço para mandar cutback e batida. Os juízes contemplaram Slater com nota 10 unânime. De quebra, ele cravou a maior somatória da competição, 19.37.

O Circuito Mundial vai continuar na Austrália neste mês, para o Rip Curl Bells Beach, que acontece de 27 de março a 7 de abril.

Confira abaixo os resultados das finais do Quiksilver Pro Gold Coast.

Final
Kelly Slater (USA) 18.56; Joel Parkinson (AUS) 17.47

Semis
1. Joel Parkinson (AUS) 18.17; Michel Bourez (PYF) 15.80
2. Kelly Slater (USA) 19.37; Mick Fanning (AUS) 18.60

Ranking do WCT (Top 5 e brasileiros)
1. Kelly Slater – 10.000 pontos
2. Joel Parkinson – 8.000 pts
3. Michel Bourez (PYF) – 6.500 pts
Mick Fanning (AUS)
5. Taj Burrow (AUS) – 5.200 pts
Julian Wilson (AUS)
Bede Durbidge (AUS)
Matt Wilkinson (AUS)
13. Filipe Toledo – 1.750 pts
Alejo Muniz
 Gabriel Medina
25. Adriano de Souza – 500 pts
Raoni Monteiro

Fotos: ASP e infos da Revista Hardcore

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s